O pint está para a Reino Unido assim como o chope está para o Brasil: é padrão, é popular, e se você pedir um, todo mundo, do Oiapoque ao Chuí – ou melhor – das ilhas escocesas de Shetland, ao sul da Inglaterra, saberá a que você está se referindo.

Pronunciado “paint” em português, esta medida imperial de mais de meio litro (ou 568 mililitros, para sermos exatos) é obrigatória e oficial na hora de se servir um chope inglês. Há, inclusive, uma diretiva do governo da União Europeia, a Measuring Instruments Directive, criada em 2004, que fiscaliza o cumprimento daquilo que está sendo prometido em um bar. Não são 567, nem 569 ml, um copo de chope inglês deve conter aquilo que está escrito na lei.

Mas afinal, um pint é um pint, não é mesmo?

Cada tipo de cerveja possui o seu copo ideal correspondente. Neste caso, quando você visitar um pub inglês, você irá provavelmente receber um English Imperial Pint, ou sua derivação ainda mais comum, um Irish Imperial Pint, repleto até a boca de cervejas Bitter ou Stout.

Este copo de corpo largo e boca larga não são excelentes para manter a temperatura do líquido gelado, o que afinal confirma a fama de que a cerveja inglesa está longe de ser servida trincando. Até porque, pela composição da própria cerveja britânica, o ideal não é servi-la quase petrificada, como fazemos aqui no Brasil, mas em uma temperatura mais abaixo do que a temperatura ambiente, ou seja, fria. Simples e versáteis, os copos pints mostram a que vieram logo no primeiro gole. É para beber, é para beber bastante.

Cheers!