Nas últimas semanas, vimos alguns padrões dos copos de cerveja, cada qual ideal para um tipo de bebida. Hoje, a lição de casa envolve uma digressão histórica. Venha conosco.

Vamos ligar a nossa máquina do tempo e viajar pelas dimensões do espaço, rumo à Inglaterra do século XII. Estamos por volta do ano 1100, invisíveis, ao lado do trono do rei Henrique I. Testemunhamos, em primeira mão, ele medir a distância entre seu nariz e o polegar de seu braço estendido e promulgar: “eis aqui uma jarda, a medida oficial”.

Corta.

Avançamos no tempo, pouco mais de 850 anos ao futuro, desta vez em direção à Austrália da década de 1950. O país, naquele momento, já havia sido conquistado pelo poderoso Império Britânico e já havia deixado de ser colônia há pouco mais de meio século. A nossa frente, o jovem adulto Robert James Lee “Bob” Hawke, que um dia se tornará o primeiro-ministro australiano pelo Partido Trabalhista. Seu desafio? Superar uma jarda. Mas não uma jarda qualquer, e sim, uma jarda líquida: um copo com 90 centímetros cheio de cerveja.

Corta. Voltemos ao presente.

Assim como muitos que tentaram se superar, o ex-primeiro-ministro australiano não só conseguiu entornar um yard glass, ou “copo jarda”, como também assegurou um lugar no Livro Guinness dos Recordes com o feito: cerca de 1,4 litro de cerveja desceu guela abaixo  do jovem Hawke em apenas 11 segundos.

Apesar de não usual, o yard glass, ou simplesmente yard, é uma opção interessante àqueles que, digamos, queiram viver uma experiência interessante com a cerveja. A sua lição de casa: chame os amigos, convidando-os a tomar uma cerveja em um yard glass e compartilhe seu relato conosco. Não que estejamos lhe recomendando entornar um copo destes de uma vez só. Longe disso. Beber em um mini yard ao lado de pessoas queridas, ou mesmo em um original de quase um metro de altura, com uma estrutura de madeira para segurá-lo, poderá trazer novos sabores, quiçá memórias de um tempo longínquo.