Conosco há pelo menos 8.000 anos, a cevada é um dos cereais mais presentes na história da humanidade: já foi base alimentar do europeu na Idade Média, serviu como alimento aos animais domesticados em diversos lugares do mundo, e até mesmo como moeda no Egito Antigo.

Talvez, mais importante do que pão, ração ou moeda, a cevada também nos presenteou outro grande bem precioso: a cerveja. Graças ao processo de maltagem – etapa imprescindível para a confecção da bebida alcoólica mais consumida no planeta – o grão dourado adquiriu basicamente um corpo líquido. Segundo a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), a cada 10 grãos de cevada produzidos em solo nacional, 9 são direcionados para a confecção do ouro líquido.

Por se tratar de um cereal que depende de um ambiente seco e frio para crescer, os estados da região sul do Brasil mais o estado de São Paulo lideram a produção de cevada no país. Só em 2014, foram quase 400 mil toneladas produzidas no Brasil, o que o configura como um dos cinco grãos mais cultivados aqui e no mundo.

Um brinde!

(Com informações de: Embrapa, InfoEscola, Mundo Boa Forma, UOL, Wikipedia)