Poucas coisas na vida são tão precisas e certeiras: não há nada melhor do que um final de semana de sol com os amigos e a família, regado a uma boa cerveja e acompanhada de um excelente churrasco. Não à toa, esta ligação entre a bebida e a proteína na brasa faz tanto sucesso. Se você antes achava que era uma questão de gosto, hoje podemos afirmar que é uma questão de saúde.

Visto por muitos como o vilão da história, a carne vermelha ao ser cozinhada na churrasqueira libera a produção de um composto químico chamado hidrocarboneto aromático policíclico (HAPs). Segundo pesquisa publicada pelo “Diário de Agricultura e Química Alimentar” (ACS Journal of Agricultural and Food Chemestry, em inglês), estes compostos químicos estão associados à formação de diversos tipos de câncer, incluindo o câncer colorretal. Para se ter uma ideia, apenas no Brasil, estima-se o surgimento de mais de 30.000 casos novos deste tipo de câncer em 2016, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Mas voltando ao amor, a união da cerveja com o churrasco em um sábado de sol pode trazer mais benefícios do que você imagina (além de ser uma delícia, é claro). Um estudo divulgado pelo grupo do Laboratório de Bromatologia e Hidrologia da Universidade do Porto, em Portugal, afirma que existe uma maneira simples e eficaz de se reduzir os tais compostos nocivos ao corpo humano: basta marinar a carne na cerveja antes de cozinhá-la.

Durante a pesquisa, as carnes foram marinadas em três tipos de cerveja (clara, escura e sem álcool) e mandadas para a brasa. O resultado final indica que os elementos antioxidantes da cerveja mantiveram tanto as propriedades benéficas da carne quanto diminuíram exponencialmente seus malefícios, com uma queda de até oito vezes nos compostos cancerígenos HAPs das carnes marinadas em cerveja escura.

Se você estava à procura de um motivo para comemorar mais o seu final de semana, aqui está! Um brinde a este eterno casamento entre a bebida e a carne: que seja eterno enquanto dure a cerveja.

Com informações de Instituto Nacional do Câncer (INCA) e Journal of Agricultural and Food Chemistry