Atenção senhores passageiros: após afivelarem os cintos, por favor ergam os seus copos para o alto, vejam a coloração da sua cerveja, sintam o aroma da bebida e façam um brinde ao nosso destino, pois estamos prestes a decolar.

Embora a ideia acima pareça absurda, foi pensando na tradição e modernidade alemã que a fabricante de cerveja Airbräu abriu suas portas no Aeroporto Internacional de Munique há 18 anos, em 1999. Até hoje, ela detém o posto mundial como a única deste tipo.

Em meio aos mais de 40 milhões de passageiros / ano que passam pelo segundo aeroporto mais movimentado da Alemanha, o sétimo mais movimentado da Europa e 30º em todo o mundo, há espaço para cerca de 250 pessoas tomarem uma gelada antes de pegar o próximo voo. No menu, três cervejas fazem parte do cardápio oficial: a “Fliegerquell” ou “Fonte do aviador”, uma ale amarga e saborosa; a “Kumulus” ou “Nuvem”, feita de trigo e mais encorpada e, por último, a “Jetstream” ou “Fumaça de Avião”, novidade pilsen da casa.

É possível também realizar um passeio organizado pela cervejaria e conhecer todo o processo de confecção dessa bebida “que veio dos céus”. Tudo isso, é claro, acompanhado de muita comida tradicional da Baviera, como o Weisswürste (salsicha de carne de porco) e o Schnitzel (costeleta de porco) – para deleite do bom turista.

No comando da produção encontra-se o jovem René Jacobsen, com diploma de mestrado oficial em mestre cervejeiro pela Universidade Técnica de Berlim. Pois, afinal, quando se trata da Alemanha – o quarto maior país consumidor per capta de cerveja no mundo – nem mesmo o céu é o limite para se aproveitar uma boa gelada.
Com informações de Aeroporto de Munique, Bavaria.by e Wikipédia