Quando você pensa em Inglaterra, o que lhe vem à mente? Ônibus de dois andares, a rainha Elizabeth (ou Kate Middleton), policiais trajados com os icônicos chapéus felpudos…? Tudo isso também nos soa, mas uma coisa que se sobressai antes de tudo é uma palavra: tradição. No Bom de Copo de hoje, vamos resgatar uma das bebidas mais clássicas e tradicionais daquele país, chamada “English Ordinary Bitter”.

Esta cerveja da família Ale, ou cerveja de alta fermentação, é composta de três irmãos: a Ordinary Bitter, a Special Bitter e a Extra Special Bitter. Da esquerda para a direita, observamos um crescente não só em amargor, como também em teor alcóolico (ABV). Por isso, indicamos uma tradicional Ordinary Bitter inglesa, a mais suave dos irmãos, para um bom dia de verão.

Com até 3,8% de teor alcóolico, uma Ordinary Bitter inglesa é mais “leve” e de menor carbonatação que a maioria das cervejas tipicamente comercializadas em solo nacional. Mas não se deixe enganar apenas por estes aspectos: seu amargor será uma excelente contrabalança e favorável surpresa ao paladar. Segundo a “Beer Judge Certification Program” (BJCP), a organização norte-americana internacionalmente reconhecida por estimular a alfabetização cervejeira, uma Ordinary Bitter varia entre 25 e 35 IBUs (numa escala de 5 a 120) – quase o dobro de muitas cervejas produzidas por aqui.

Já sua coloração varia, em média, entre 4 e 14 SRM (abreviação em inglês para “Método de Referência Padrão”), situando-a na zona das Ales mais claras, também conhecidas como Pale Ales.

Além de sua leveza, amargura e baixa carbonatação, uma tradicional Ordinary Bitter inglesa também é conhecida por seu toque leve caramelizado e com um frutado bem suave. Trata-se, pois, de uma perfeita combinação com um bom prato de frango assado ou um tradicional “Fish and Chips” inglês.

Idealmente, uma Ordinary Bitter inglesa é servida entre 10ºC e 12ºC – algo considerado elevado para o padrão de consumo médio brasileiro. Por isto, antes de se empolgar com o calor do verão e botar a sua inglesa para congelar, siga as instruções do seu produtor. Afinal: não é na hora de servir que um bom inglês irá quebrar uma tradição.

Com informações de Central Brew, Cerveja Monstro, Hominilúpulo e Revista Beer Art