Sempre associada ao universo masculino, a bebida mais popular do mundo foi descoberta por uma mulher. Há 11 mil anos, enquanto os homens saíam para caçar e levar a carne para casa, as mulheres ficavam responsáveis por cuidar dos grãos que eram mantidos dentro de jarros, e que seriam usados para fazer pão.

Foi assim que, meio por acaso, descobriram a cerveja.

Os grãos que não eram consumidos permaneciam dentro dos jarros tomando sol e chuva. Assim eles eram fermentados e formavam o líquido que hoje conhecemos como cerveja.

Milhares de anos depois, por volta de 1.800 a.C., foi escrita a primeira receita de uma cerveja. Feita em homenagem a uma era composta por tâmaras, diversos grãos, ervas, mel e especiarias.

Outra descoberta feminina relacionada à cerveja é o lúpulo.

Um dos principais ingredientes na produção da bebida, ele teve suas propriedades descritas pela primeira vez anos no século 7 pela monja e teóloga alemã Hildegard von Bingen, também conhecida como Santa Hildegarda.

Nos dias de hoje, cada vez mais as mulheres se identificam com a cerveja, seja como mestre-cervejeiras, Beer sommelieres ou simplesmente apreciadoras.