A cerveja e o outono

Março é o mês de transição das estações do ano: sai os dias quentes de verão e entra a temperatura amena do outono. Ainda não temos o frio do inverno, mas a mudança climática é perceptível e isso interfere diretamente com o que comemos e bebemos.

Se na estação mais quente do ano as cervejas mais leves costumam ser uma ótima alternativa para se refrescar, no outono elas dão lugar às cervejas com sabores mais intensos e teor alcoólico mais elevado.

Essa sazonalidade não é de hoje. Os bávaros têm orgulho de dizer que a cerveja é item indispensável em sua alimentação diária e que a única coisa que muda com o tempo é o tipo de cerveja escolhida, dependendo da estação.

Embora a Alemanha seja conhecida por sua temperatura fria, que fica em torno de 0º no inverno, o verão no país é um período bastante quente, com temperaturas alcançando os 35º. Não é à toa que vem de lá a Weizenbier, que são as cervejas de trigo alemãs, conhecidas por serem refrescantes. Esse estilo é bastante apreciado, não só no verão alemão, como em qualquer lugar do mundo onde a temperatura esteja mais elevada.

Já o outono traz temperaturas amenas, por isso os apreciadores de cerveja aumentam o consumo desta bebida em tons um pouco mais escuros e levemente mais potentes.  Essas cervejas, que também possuem maior teor alcoólico conseguem, naturalmente, elevar um pouco nossa temperatura corporal.


Penne à Malagueta Harmonizado com Petra Weiss Bier

Quando falamos em massa, logo lembramos da Itália. Foi no País da Bota que as massas ganharam formatos diferentes, tornando cada receita muito particular. Uma das massas mais queridas no Belpaese é o penne, também bastante popular no Brasil.

Uma curiosidade sobre o formato é que ele tem diferentes nomes de acordo com as regiões italianas. É bastante apreciado com molhos brancos e com linguiças e pimentas picantes.

Formato dá origem ao nome

O penne tem este nome porque seu formato lembra o canudo de uma pena. É feito de grano duro e água, que absorve facilmente, além de manter a consistência de al dente (que é considerado o ponto perfeito de massa).

Ele é uma variação dos bucatini, que são macarrões longos com um furo no interior que segue seu comprimento, e produzidos ao enrolar uma lâmina da massa em torno de um arame. Para se fazer o penne, basta cortar os bucatini em pedaços menores, deixando suas extremidades com forma chanfrada.

Penne à Malagueta

Ingredientes

400g de massa tipo penne
2 dentes de alho esmagados
100g de queijo pecorino ralado
2 pimentas malaguetas
400g de tomates sem pele e sem sementes cortados em cubos
3 colheres (sopa) de salsinha picada
Azeite de oliva e sal a gosto

Modo de Preparo

Em uma panela, aqueça o azeite e refogue bem os dois dentes de alho esmagados. Adicione a pimenta malagueta picada (ou em pó). Junte os tomates e cozinhe-os por cinco minutos, até que fiquem bem macios. Acerte o sal.

Enquanto isso, cozinhe o penne em água fervente e sal. Escorra e misture diretamente na panela com o molho. Acrescente a salsinha picada e misture a massa por mais um minuto. Se os tomates não estiverem muito maduros, é possível adicionar duas colheres (sopa) de molho de tomate. Salpique queijo pecorino ralado (ou parmesão) e sirva.

Harmonização

O forte sabor do Penne à Malagueta faz excelente harmonização por contraste com a Petra Weiss Bier, uma cerveja de trigo versátil, que ameniza a picância do prato no paladar. Suave e com aroma de especiarias, a Petra Weiss Bier traz a refrescância perfeita para valorizar a receita.


Os estilos da Ale

Com alta fermentação, as cervejas da família Ale possuem maior corpo, com gostos e aromas variados. Agora vamos apresentar alguns exemplos de estilos da família Ale.

- Weizenbier ou Weissbier: cervejas de trigo típicas da Bavária, a região mais ao sul da Alemanha. A maioria não são filtradas, mas também existem as versões filtradas e ainda a versão bock (Weizenbock) desse estilo.

- Stout: estilo de cerveja típico do Reino Unido e da Irlanda. Apresenta aromas e sabores de torrefação, e dependendo da variante do estilo (Dry Stout, Foreign Extra Stout, Oatmeal Stout, American Stout, Russian Imperial Stout) pode ter baixo ou alto corpo.

- Dubbel: estilo típico belga, de coloração marrom, desperta aromas frutados, médio corpo e sabor equilibrado.


A temperatura ideal da cerveja

Estamos no verão, e como já vimos, o clima influencia diretamente na temperatura da cerveja.  Mas o tipo de cerveja que você está tomando é o que vai definir se ela deve ser mais ou menos gelada.

Para saber qual a melhor temperatura para a sua cerveja, selecionamos alguns estilos e como você poderá aproveitá-los melhor. Lembre-se de levar sempre em consideração o ambiente em que está e o clima externo para definir, de maneira mais adequada, a temperatura. Confira.

Muito gelada – 2° a 4°C

Cervejas para refrescar, com teor alcoólico de no máximo 5,5% e sabor mais leve, como as Pilsens, Helles e Witbiers.

Gelada – 4° a 6°C

Boa temperatura para cervejas de trigo alemãs Weizenbier, além da Tripel belga e as Lambics.

Fria – 7° a 10°C

Com essas temperaturas, sabores mais complexos podem ser apreciados bem. Ideal para IPA’s, Weizenbocks, Porters, Dubbels e outros estilos com teor alcoólico um pouco mais elevados.

Temperatura de adega – 10° a 13°C

Cervejas mais fortes como Belgian Dark Strong Ales, Stouts, Barley Wines e Bocks, que são mais alcóolicas, são melhores degustadas nessa temperatura.


Ceviche Harmonizado com Black Princess Miss Blonde

Tradicional prato da gastronomia peruana, o ceviche (também chamado de cebiche ou seviche) é uma receita simples, a base de peixe cru marinado em suco de limão ou outro cítrico como a laranja e a lima.

O essencial é que o pescado seja branco, sem muita gordura nem músculo vermelho, e de carne firme. Camarão, lagosta e polvo também podem ser usados para fazer a receita. Uma primeira versão do ceviche foi registrada em cerca de 2000 A.C. entre o povo do litoral norte do Peru

Patrimônio peruano

Em seu país de origem o ceviche é considerado Patrimônio Cultural. Por lá, o ingrediente obrigatório é o “leche de tigre”, suco feito com o peixe marinado no limão. A cebola e a pimenta também não podem faltar no prato.

No Brasil, o ceviche se tornou uma ótima opção de entrada, e até mesmo de prato principal, especialmente no calor do nosso verão. Aqui a receita ganhou outros ingredientes como o abacate, o milho e a batata-doce, além de temperos como a salsa e o coentro.

Ceviche

Ingredientes

  • 1 kg de linguado
  • 300 gramas de cebola roxa
  • Pimenta picada a gosto
  • 18 limões
  • Sal a gosto
  • 200 gramas de milho
  • Quatro batatas doces picadas

Modo de Preparo

Corte o linguado em pequenos pedaços. Coloque o peixe em uma travessa funda, com a cebola cortada em tiras longas e finas. Tempere com sal e a pimenta picada. Adicione o suco dos 18 limões espremidos e deixe marinando por uma hora. Depois é só acrescentar o milho e a batata doce. Pode decorar com salsa ou coentro a gosto.

Harmonização

A leveza do ceviche faz ótima harmonização com a Black Princess Miss Blonde, uma autêntica Blonde Ale da escola belga. Dourada, cremosa, com amargor equilibrado e aroma e sabor que trazem notas frutadas e de especiarias, a Black Princess Miss Blonde valoriza o toque cítrico do ceviche, tornando essa degustação muito mais especial.


Os estilos de Lager

Conhecidas por sua baixa fermentação, as cervejas da família Lager são, em sua maioria, mais suaves e democráticas. Porém, dentro dessa família há uma grande variedade de cores, aromas, potência de corpo e complexidade.

Os principais estilos da família Large são:

- Pilsen: é considerada o carro-chefe da família Lager. Foi criada em 1842 na cidade tcheca de Pilsen. Antes dela, nenhuma cerveja era tão transparente, clara e leve. É considerado o estilo de cerveja mais popular do mundo.

- Bock: tipicamente alemã, é facilmente reconhecida graças a sua cor avermelhada. Bastante maltada, possui alto teor alcoólico.

- Schwarzbier: são cervejas escuras feitas a partir de maltes torrados. Com aromas de torrefação que lembram chocolate, café e cacau, tem baixo para médio corpo e paladar seco ao final.


Cuscuz Marroquino Harmonizado com Ditriguis

O verão chegou e com ele ganha espaço no cardápio receitas leves, que possam ser apreciadas nos dias mais quentes. Um prato saboroso e versátil que conquistou os brasileiros – e que faz muito sucesso nesta época do ano – é o cuscuz marroquino.

No Marrocos, o cuscuz é preparado com um molho de sete vegetais e é tradicionalmente servido às sextas-feiras, depois da oração do meio-dia. Por aqui ele é feito com uma mistura de sêmola de cereais, em especial o trigo.

Simples e versátil

Em sua origem a sêmola era amassada à mão com um pouco de água. Esse processo acontecia até se transformar em pequenos grãos, que depois eram cozidos a vapor.

O cuscuz marroquino é um prato fácil de fazer, que pode ser servido com molho, grão de bico e pedaços de legumes. Sua versatilidade permite que ele seja tanto o prato principal como o acompanhamento para diversos tipos de carnes.

Cuscuz Marroquino

Ingredientes

  • 250 gramas de semolina
  • 2 copos de água fervendo
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • 1 tablete de caldo de legumes
  • 2 colheres (sopa) de azeite de oliva
  • 6 colheres (sopa) de cebola picadinha
  • 2 dentes de alho picados
  • 100 gramas de amêndoas laminadas e torradas
  • 4 colheres (sopa) de uvas-passas
  • 4 colheres (sopa) de damascos picados
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto
  • 2 colheres (sopa) de salsinha picada

Modo de Preparo

Em uma frigideira com azeite, frite a cebola, o alho, acrescente as amêndoas e salteie, em seguida adicione as uvas passas e o damasco. Em um refratário, dissolva o caldo de legumes em água fervente e adicione uma colher de manteiga, coloque todo a semolina nesta água, cubra e deixe descansar por cinco minutos para que absorva toda a água. Junte a mistura de amêndoas ao cuscuz e misture bem, acertando o sal e colocando pimenta a gosto. Salpique com salsinha picada.

Harmonização

A leveza do cuscuz marroquino harmoniza muito bem com a Ditriguis, cerveja de trigo diferenciada, que une zest de laranjas com um toque de pimenta-da-Jamaica. Como o prato tem diversos ingredientes suaves, a Ditriguis valoriza ainda mais a receita, proporcionando ao paladar sabores e aromas refrescantes.


A cerveja e o verão

Com o verão brasileiro bombando, vem aquela vontade de beber uma cerveja bem gelada. Mas, para degustar sabores e aromas mais complexos, a temperatura da cerveja pode ser um fator decisivo. Neste caso, não necessariamente ela deve seguir a linha ‘estupidamente gelada’.

A temperatura da cerveja varia de acordo com o clima e o tipo de bebida escolhida. No entanto, para sentir o sabor, o ideal é não usar temperaturas menores do que 0°C. Isso porque, se a bebida for degustada abaixo dessa temperatura, suas papilas gustativas vão se fechar e perder a sensibilidade, fazendo com que o gosto da cerveja seja comprometido.

Agora você já sabe que também não se deve congelar a cerveja, porque o congelamento tira algumas propriedades da bebida. Também não devemos gelar e degelar a cerveja, porque isso altera suas características.

Na Alemanha é comum beber a cerveja servida à temperatura ambiente, até porque o clima lá é frio em boa parte do ano. Por isso é sempre bom estar atento ao clima externo, porque ele influencia na escolha da temperatura para a bebida.


Peru com Molho de Cerveja

O Natal é uma das épocas mais esperadas do ano, quando as pessoas se reúnem para confraternizar. E, em todas as comemorações, as receitas típicas da época fazem sucesso. Uma delas é o peru, prato tradicionalmente natalino.

O hábito de comer peru no Natal surgiu em Massachusetts, nos Estados Unidos, no ano de 1621, quando a ave foi servida no Dia de Ação de Graças. Por ser mais barato e engordar facilmente, o peru foi levado pelos espanhóis para a Europa no século 16. Assim, se tornou símbolo das grandes ocasiões.

Tradição brasileira

No Brasil, o peru é apreciado desde a época colonial. Pode ser consumido tanto no Natal quanto no Ano Novo. Considerado símbolo de fartura, é um prato para ser compartilhado.

Peru com Molho de Cerveja

Ingredientes

  • 1 Peru (aprox. 4kg).
  • 1 Lata de cerveja
  • 2 Tabletes de Caldo de Galinha
  • 4 Dentes de alho
  • 1 Cebola média picada
  • 3 Batatas grandes fritas
  • 100g de Bacon em tiras
  • Sal e pimenta à gosto
  • Temperos à gosto
  • 1 Laranja
  • Folhas de alface e alecrim para decorar

Modo de Preparo

Bata no liquidificador a cerveja, o caldo de galinha esfarelado, o alho, a cebola, o sal, a pimenta e os temperos, e reserve. Jogue em cima do peru e deixe marinar por seis horas. Para deixar o peru mais suculento, antes de assar, coloque uma maçã inteira (sem o talo) dentro e asse junto.

Em uma assadeira, coloque o peru, despeje o líquido do liquidificador e cubra com papel alumínio. Leve ao forno por aproximadamente duas horas. Retire o papel alumínio, coloque as tiras de bacon por cima do peito e deixe dourar. Frite as batatas.

Depois de pronto, forre um refratário com folhas de alface, coloque o peru em cima, e coloque as batatas já fritas em volta, decore com as laranjas cortadas em rodelas em volta do peru. Coloque os galhos de alecrim em cima. E sirva com o molho.

Harmonização

O sabor suave, porém marcante, do peru faz excelente harmonização com a Weltenburger Barock Dunkel, uma das cervejas escuras mais antigas do mundo. Delicadamente amarga e cremosa, a Barock Dunkel harmoniza por contraste com este prato tradicional de Natal.

O Peru com Molho de Cerveja é uma receita leve, porém suculenta, por isso a harmonização com uma cerveja encorpada como a Weltenburger Barock Dunkel é uma experiência inesquecível.


Lager x Ale

Já vimos as diferenças entre as cervejas da família Ale e da família Larger.

Colocando as duas famílias lado a lado, a diferença das Ale e das Lager estão nos subprodutos gerados da fabricação. Quando falamos de fermentação, na família Lager o levedo fica concentrado no fundo do tanque e precisa de temperaturas mais baixas, agindo mais lentamente do que o levedo das Ale.

As cervejas da família Lager são mais leves e suaves e as cervejas da família Ale, são mais complexas, com aromas, sabores e cores variáveis. Entre as cervejas da família Ale que têm mais popularidade estão a Indian Pale Ale (IPA) e a American Pale Ale. São exemplos ainda a Weizen (trigo), Amber Ale, Stout, ESB (English Strong Bitter), Porter, e outras.

Já entre as Lager temos a Pilsen, a mais consumida no mundo. Bock, Helles, Dunkel, Lager, Premium, Vienna e Rauchbier também fazem parte desta família.