Peru com Molho de Cerveja

O Natal é uma das épocas mais esperadas do ano, quando as pessoas se reúnem para confraternizar. E, em todas as comemorações, as receitas típicas da época fazem sucesso. Uma delas é o peru, prato tradicionalmente natalino.

O hábito de comer peru no Natal surgiu em Massachusetts, nos Estados Unidos, no ano de 1621, quando a ave foi servida no Dia de Ação de Graças. Por ser mais barato e engordar facilmente, o peru foi levado pelos espanhóis para a Europa no século 16. Assim, se tornou símbolo das grandes ocasiões.

Tradição brasileira

No Brasil, o peru é apreciado desde a época colonial. Pode ser consumido tanto no Natal quanto no Ano Novo. Considerado símbolo de fartura, é um prato para ser compartilhado.

Peru com Molho de Cerveja

Ingredientes

  • 1 Peru (aprox. 4kg).
  • 1 Lata de cerveja
  • 2 Tabletes de Caldo de Galinha
  • 4 Dentes de alho
  • 1 Cebola média picada
  • 3 Batatas grandes fritas
  • 100g de Bacon em tiras
  • Sal e pimenta à gosto
  • Temperos à gosto
  • 1 Laranja
  • Folhas de alface e alecrim para decorar

Modo de Preparo

Bata no liquidificador a cerveja, o caldo de galinha esfarelado, o alho, a cebola, o sal, a pimenta e os temperos, e reserve. Jogue em cima do peru e deixe marinar por seis horas. Para deixar o peru mais suculento, antes de assar, coloque uma maçã inteira (sem o talo) dentro e asse junto.

Em uma assadeira, coloque o peru, despeje o líquido do liquidificador e cubra com papel alumínio. Leve ao forno por aproximadamente duas horas. Retire o papel alumínio, coloque as tiras de bacon por cima do peito e deixe dourar. Frite as batatas.

Depois de pronto, forre um refratário com folhas de alface, coloque o peru em cima, e coloque as batatas já fritas em volta, decore com as laranjas cortadas em rodelas em volta do peru. Coloque os galhos de alecrim em cima. E sirva com o molho.

Harmonização

O sabor suave, porém marcante, do peru faz excelente harmonização com a Weltenburger Barock Dunkel, uma das cervejas escuras mais antigas do mundo. Delicadamente amarga e cremosa, a Barock Dunkel harmoniza por contraste com este prato tradicional de Natal.

O Peru com Molho de Cerveja é uma receita leve, porém suculenta, por isso a harmonização com uma cerveja encorpada como a Weltenburger Barock Dunkel é uma experiência inesquecível.


Confit de Pato ao Molho de Laranja e Cerveja

O pato vinha cantando alegremente... até que um dia caiu na panela. Azar do pato, sorte a dos humanos, hoje trazemos uma receita dos tempos da Cleópatra até a sua mesa, com um toque – é claro – do delicioso sabor da cerveja escura.

Desde que o mundo é mundo, o ser humano sempre buscou a melhor maneira de conservar seus alimentos. Não à toa, no Antigo Egito, há mais de quatro mil anos, um método bem conhecido de preservar a comida do dia de hoje para os dias vindouros era mergulhar o alimento em condimentos (como o açúcar e o mel) ou em gordura. Essa cultura de conservar os alimentos em banha animal atravessou a História, passou de geração em geração também nos impérios grego e romano, e ganhou um destaque na Idade Média, em especial sob o gosto de Henri IV, rei da França (de 1589 a 1610). Foi graças a ele que, por exemplo, o pato em banha deixou de ser um prato “popular”, campesino, e alcançou o status de comida nobre, da realeza.  

Em francês, este método de conservação é conhecido como “confit”, do verbo “confire”, e pode ser tanto usado para doces – em “confiture”, que significa geleia ou fruta embebida em açúcar – quanto para salgados, como o “confit de canard” – ou pato conservado na gordura.

Tradicionalmente, o confit de pato é uma receita associada à região do sudoeste da França, cujo clima e geografia permitem uma boa criação deste animal. No Brasil, segundo estudo divulgado em 2018 pela Associação Brasileira de Proteína Animal, a produção e exportação deste animal se concentram basicamente no sul do país, sobretudo em Santa Catarina. Somente este estado foi responsável por 99,994% de toda a exportação de carne de pato ao resto do mundo, a mais de 20 países, representando um total de quase 3,5 mil toneladas do animal e gerando uma receita de quase 9 milhões de dólares ao país em 2017.

Comparativamente, enquanto o brasileiro médio consome apenas 13 gramas de carne de pato por ano, um europeu come 1kg desta carne e um chinês chega a consumir 1,5kg da ave anualmente. Assim sendo, embora a carne de pato ainda não seja uma preferência nacional, os números também indicam que ano após ano o brasileiro está introduzindo em sua mesa esse tipo de alimento.

Se você por acaso não teve a oportunidade de experimentar um delicioso confit de pato à moda francesa, hoje lhe trazemos uma receita turbinada com a nossa bebida favorita, a cerveja, de fazer qualquer um suspirar e dizer: “ulalá!”.

Bon appétit!

 

Confit de Pato ao Molho de Laranja e Cerveja

Ingredientes

  • 4 coxas (com sobrecoxa) de pato
  • 1/3 de maço tomilho
  • 4 ramos alecrim
  • 4 dentes alho picados
  • 80 gramas sal grosso
  • 20 g pimenta-preta
  • 750 ml azeite de oliva
  • 500 ml de cerveja escura

Para o molho:

  • 200 gramas açúcar
  • 100 ml de vinagre
  • 300 ml suco de laranja
  • 250 ml de caldo de legumes ou frango
  • 100 gramas manteiga
  • 50 gramas roux (caso seja necessário para a liga)

Modo de Preparo

  1. Tempere as coxas com as ervas, o sal grosso, o alho, pimenta e cerveja, deixando na geladeira de um dia para o outro. No dia seguinte, leve o azeite ao fogo em panela alta.
  2. Quando estiver bem aquecida, a mais ou menos 80 Cº, acrescente as coxas e leve ao forno coberto com papel alumínio para que cozinhe lentamente em fogo baixo 150Cº (tomando cuidado para que não ferva) por uma hora e meia.
  3. Após uma hora e meia, tire o papel alumínio e deixe para dourar por mais 15 minutos
  4. Molho de laranja: em panela pequena, leve o açúcar ao fogo médio até caramelizar. Acrescente o vinagre. Adicione o suco de laranja e o caldo de legumes diluído em um pouco de água quente.
  5. Acrescente a manteiga e misture bem até ter uma textura aveludada
  6. Adicione o roux caso o molho estiver muito líquido
  7. Sirva com arroz ou batatas ao murro

Fonte da receita: CookPad (contém adaptações)

Com informações de: Associação Brasileira de Proteína Animal, APEX-Brasil, Lafitte e Wikipédia


O Voo do Frango

É ave mais não voa? Que nada! Apesar dos mitos que os cercam, os frangos são animais domesticáveis que conseguem sim voar. E quando se trata de sua produção e consumo, então estamos falando de um voo de longo alcance.

É oficial: segundo dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), o Brasil ultrapassou a China e se consolidou o segundo maior produtor de carne de frango no mundo, com 13,143 milhões de toneladas produzidas em 2015. À frente, apenas os Estados Unidos com cerca de 18 milhões de toneladas anuais.

Leia mais