Uma união para toda a vida

Poucas coisas na vida são tão precisas e certeiras: não há nada melhor do que um final de semana de sol com os amigos e a família, regado a uma boa cerveja e acompanhada de um excelente churrasco. Não à toa, esta ligação entre a bebida e a proteína na brasa faz tanto sucesso. Se você antes achava que era uma questão de gosto, hoje podemos afirmar que é uma questão de saúde.

Leia mais


Cerveja Portátil

Acampar e beber cerveja. Aparentemente incompatíveis essas duas atividades ao ar livre requerem muito planejamento e estrutura. Afinal, é necessário calcular o número de engradados, levar um cooler (ou isopor) condizente com o tamanho do grupo de consumidores, possuir um porta-malas que tenha espaço para tudo isso E as malas. Enfim, um trabalho que somente os apreciadores de cerveja realmente entendem. Mas e se não tiver gelo por perto, o que fazemos? Uma empresa norte-americana pensou neste grupo de consumidores, os cervejeiros-aventureiros, e desenvolveu – rufem os tambores – a cerveja em pó!

Leia mais


Passando Cerveja no Pão

“Bebo-o porque líquido, se fosse sólido comê-lo-ia”, disse uma vez Jânio Quadros, o então vigésimo segundo presidente do Brasil, consagrando mais um lugar na História com suas célebres frases. Mal saberia ele que, anos após este pronunciamento, esta premissa poderia se tornar uma realidade.Leia mais


Vista este colar, cervejeiro!

Quando você está reunido com os amigos em uma mesa de bar, pede uma cerveja e o garçom lhe pergunta: com ou sem colarinho? A sua reação natural é:  A) “dois dedos de colarinho, por favor”; B) “sim, pode ser, obrigado”; C) “sem colarinho”; D) faz cara de paisagem e deixa o garçom decidir por você. Caso tenha optado pelas alternativas C ou D, fiel amigo cervejeiro, venha conosco!

Nenhuma outra peça na indumentária alcoólica é tão sofisticada, cheia de charme e personalidade quanto o famoso colarinho da cerveja. Embora todos já o tenhamos usado pelo menos uma vez na vida – especialmente após um dia estressante de trabalho, no qual o outro colarinho nos aperta tanto o pescoço – poucos são os que conhecem a verdadeira utilidade deste traje fino.

Leia mais


O Poder da Cevada

Conosco há pelo menos 8.000 anos, a cevada é um dos cereais mais presentes na história da humanidade: já foi base alimentar do europeu na Idade Média, serviu como alimento aos animais domesticados em diversos lugares do mundo, e até mesmo como moeda no Egito Antigo.

Leia mais


Cerveja que cabe no seu bolso

O seu sonho sempre foi conhecer as belas montanhas da Suíça? Namorar romanticamente pelas ruas de Paris? Caminhar e fazer compras pela 5ª Avenida, em Nova York? Então é bom que estes sonhos não envolvam uma paradinha no bar mais próximo para apreciar a vista, ou simplesmente relaxar.

Leia mais


Lúpulo: Poder Feminino

Muito se diz por aí sobre a cerveja e suas propriedades únicas, em especial a presença da cevada e do lúpulo em sua confecção.  Mas afinal, o que é que o lúpulo realmente faz?

Leia mais


Cerveja de Plástico

Você já parou para pensar: por que a cerveja não é vendida em garrafas plásticas? E para, além disso, por que ela é vendida apenas em garrafas de vidro, preferencialmente escuro?

Estas são algumas dúvidas que poucos já encafifaram, justamente por estarmos tão acostumados aos vasilhames marrons e verdes, espalhados pelos bares e festas. Mas aqueles que o fizeram com certeza gastaram alguns neurônios (ou alguns minutos de busca no Google) para responder a esta questão. Então sem mais delongas:

Leia mais


O Brigadeiro: De Cerveja

Atenção, cervejeiro: Sentido! Está entrando na sua tela de computador um dos mais altos oficiais da culinária brasileira, o brigadeiro.

Tão popular quanto o arroz e feijão, reza a lenda que este quitute sinônimo de festa de aniversário nasceu pelos idos de 1940, em homenagem ao verdadeiro oficial da Força Aérea Brasileira, o brigadeiro Eduardo Gomes.

Leia mais


Uma Jarda Líquida

Nas últimas semanas, vimos alguns padrões dos copos de cerveja, cada qual ideal para um tipo de bebida. Hoje, a lição de casa envolve uma digressão histórica. Venha conosco.

Vamos ligar a nossa máquina do tempo e viajar pelas dimensões do espaço, rumo à Inglaterra do século XII. Estamos por volta do ano 1100, invisíveis, ao lado do trono do rei Henrique I. Testemunhamos, em primeira mão, ele medir a distância entre seu nariz e o polegar de seu braço estendido e promulgar: “eis aqui uma jarda, a medida oficial”.

Corta.

Leia mais